FCJ realiza II Copa Santa Catarina de Judô para Todos

A Federação Catarinense de Judô (FCJ) promoveu no último sábado, 29, em Balneário Camboriú, a II Copa Santa Catarina de Judô Para Todos, classe competitiva do Judô para atletas com necessidades especiais, como síndrome de Down,mobilidade reduzida e cegos. A competição aconteceu no Ginásio Barra Multieventos Hamilton Linhares e reuniu 44 judocas de cinco estados, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná e o estado sede, Santa Catarina.

Um censo divulgado pelo IBGE, aponta que 45,6 milhões de pessoas declaram ter ao menos um tipo de deficiência, o que corresponde a 23,9% da população brasileira. A deficiência visual é a mais apontada, atinge 18,8% da população. Em seguida deficiência motora, atingido 7%, auditiva, 5,1% e mental ou intelectual, 1,4% da população.

“A II Copa Santa Catarina de Judô para Todos, foi um sucesso, desde o número de inscritos que vem crescendo a cada edição, atletas de nível internacional e iniciantes participando, medalhas personalizadas,  o público atento as lutas e se envolvendo. Estamos no caminho certo, fazendo do Judô um instrumento de transformação de vidas, não somente dos atletas mas de todos os envolvidos, vamos dar um ippon no preconceito”, comenta Giovani Ferreira coordenador técnico do Judô para Todos em Santa Catarina.

O Judô melhora na autonomia e auto estima do atleta, melhora na socialização e no condicionamento físico, além de aumentar a capacidade de concentração do atleta.

O projeto “Judô para Todos” tem por objetivo promover a inclusão, o bem estar e o desenvolvimento das Pessoas Com Deficiência (PCDs) oferecendo a todos os participantes a oportunidade de vivenciar um ambiente competitivo e com diversão.

CURSO TÉCNICO – JUDÔ APLICADO A POPULAÇÕES ESPECIAIS

Na sexta, 28, a coordenação de cursos da FCJ, realizou o Curso Técnico “Judô aplicado a Populações Especiais”, com o objetivo de possibilitar aos professores de judô recursos pedagógicos aplicados para o
ensino a população especial.

O curso teve abordagem teórica e prática, ministrado pelos professores, Gustavo Bordin Schumacher – Técnico da ACERGS UFRGS de Judô Paralímpico e Ricardo Lúcio Gomes de Oliveira – Coordenador Nacional do Movimento Judô para Todos Brasil.

“A importância do curso em primeiro lugar é a divulgação e o incentivo a prática do judô pelas mais diversas populações. Em segundo lugar é preparar os professores para estes novos praticantes da modalidade”, explica o professor Gustavo Schumacher

A realização do curso, é uma novidade a nível nacional, pois é a primeira vez que é realizado um curso que abrange uma pedagogia aplicada ao ensino do Judô para deficientes visuais e intelectuais. Além de proporcionar aos professores um conhecimento nas determinadas áreas, ampliando o leque de atuação, visando o crescimento dos jogos paralímpicos.

“Gosto de deixar bem claro, que o judô é bom e importante para qualquer população, cabe a nós professores estarmos aptos para atender a todos com a maior qualidade possível”, enfatiza Gustavo.

 

 

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*